Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

O dia em que falei com ela

por Jorge, em 16.06.04

dreamcity.jpg


A noite passada sonhei com a cidade, voei por aquelas ruas sem receio de me perder… tudo parecia deserto. Como a cidade é vazia sem a presença daqueles que amo. E com a cidade vazia pouco conteúdo me resta… apenas o sonho dentro do sonho, uma vez mais a espiral adensa-se. Mesmo assim arrisquei o diálogo:


- Lembras-te de mim, Cidade dos Corvos?


- Claro, és o rapaz que em tempos me sonhou!


- Sonhei-te porque uma vez te encontrei, quando andava perdido em sonhos.


- Falas a verdade, rapaz! Não foste tu que criaste o sonho que eu sou, mas o Criador deixou de sonhar comigo e durante tempos fui o nada. Tu encontraste-me numa das tuas viagens (ou vadiagens), e sonhaste-me. Por isso te agradeço e deixo que aqui vivas os teus sonhos. Chamaste-lhes Sonhos Urbanos, gostei do nome (tem a ver contigo). Porque vieste ter comigo?


- Para falar do que está para vir… não sei o que o futuro me trará.


- Eu sei, rapaz!


- Conta-me, por favor!


- Julgo que não vais gostar de saber, se eu te contar poderá não acontecer o que eu já sei que aconteceu.


- Cidade dos corvos, não me deixes permanecer na ignorância que tanta insegurança me dá.


- Não é por saberes o Futuro que curarás a tua ignorância, concentra-te na busca da sabedoria e continua a ver o teu futuro como o resultado das tuas escolhas.


Depois disto a Cidade dos Corvos voltou ao seu silêncio. E eu fiquei ali no seu vazio a meditar. Antes de acordar para o mundo real posso garantir que ouvi um pássaro a cantar, mas não me lembro de o ter colocado nos Sonhos Urbanos.


 


nota: a imagem foi retirada do site www.blizzard.com (por vezes tenho-me esquecido de referir de onde tirei as imagens que utilizo nos posts, vou estar mais atento a essa questão nos próximos posts)

8 comentários

Comentar post