Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Precisa-se de mudança - 1ª Parte

por Jorge, em 12.06.04

Começa aqui um apanhado de algumas ideias (que dividi em vários posts para não tornar muito cansativo) e gostava muito de apelar aos vossos comentários (ou seja é uma forma de eu trocar ideias com vocês sobre um tema que acho muito importante).


Ontem tive a oportunidade de estar à conversa com um grupo de amigos (o que só por si é óptimo). E houve um tema que não conseguimos manter afastado: o sistema em que vivemos. É verdade, nós, tal como grande parte da população deste país achamos que algo está errado.


Em certos momentos da nossa vida, devido a inúmeros aspectos, até podemos nem pensar nisso, e noutras alturas até tentamos disfarçar. Mas definitivamente algo está errado. Alguns poderão dizer que é um tema de conversa inútil, eu acho que é algo que vale a pena pensar afinal é o contexto em que vivemos e isso toca directamente na nossas vidas (e por sua vez é óbvio que está no suporte de qualquer sonho urbano).


Considero de grande importância considerarmos o que está errado. E, sensatamente, também colocar a questão: o que é que afinal está bem? Não fomos só focar características negativas do funcionamento social. Então pensemos no Sistema em que vivemos como contendo uma parte saudável e uma parte doente (é assim que penso no assunto). 


Passo a resumir aqui a ideia principal a que quero chamar a vossa atenção, uma forma lógica de melhorarmos o sistema é desenvolvermos a consciência destas duas partes, desenvolver a parte saudável e tratar a parte doente.


Na minha opinião, é óbvio que para alterar o Sistema temos que fazer parte dele, porque é a partir de uma transformação interna das suas estruturas que ele poderá funcionar doutra forma. Ao fazermos parte dele influenciamos essas estruturas. Logo aqui vai o meu descrédito para aqueles grupos que falam de mudança social e depois assumem atitudes marginais para o fazer, actuar na margem social é ter pouco poder social, ou seja não influenciam muito.


Quem é cada um de nós para mudar qualquer coisa? Bem, se estamos inseridos no sistema e achamos que algo está errado, então talvez seja bom pensarmos que fazemos parte do problema. A partir daqui podemos trabalhar na solução.


Antes de mais algum realismo, há aquilo que podemos fazer nas nossas acções diárias, há coisas que não estão ao nosso alcance... mas olhem que também há muitas coisas que não podemos fazer porque nos disseram que era assim que devia ser e temos vindo a aceitar.


A primeira parte deste tópico está a acabar mas há duas perguntas que deixo: Afinal quem é que quer realmente uma mudança profunda? Quem é que está disposto a aceitar o desafio?

10 comentários

Comentar post