Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

A decisão de transmutar o Mundo

por Jorge, em 02.12.03
Estar de pernas para o ar pode parecer estranho, o que sempre achei engraçado nesta posição é que me permite olhar para um mundo completamente diferente. Porque vejo a mesma porta, o mesmo chão mas são diferentes, captam a minha atenção… fico curioso e faço novas descobertas sobre esses objectos (supostamente) já conhecidos.
O esforço que tenho que fazer diariamente para algo semelhante (só que sem ser de pernas para o ar) é muito grande. A rotina do quotidiano por vezes parece um castigo terrível que nem lembra ao Deus do Antigo Testamento. Um pormenor especifico, o contacto social, que por vezes é tão superficial e funcional que carece de afectividade e de imaginação. E já tentaram improvisar algo dentro do “Guião de Relações Sociais”? É uma experiência frustrante algumas pessoas pensam que estamos doidos ou a gozar (normalmente, no meu caso optam pela primeira)… bem na minha opinião, é importante não desistir do enriquecimento de todos os pormenores do nosso dia-a-dia (não há pormenores grandes e outros pequenos, apenas os detalhes que formam o contexto em que vivemos).
Em tempos, li um estudo que relatava que a maior parte dos pensamentos que elaboramos são repetitivos (havia uma percentagem grande, que não recordo com precisão, por volta dos 70% a acompanhar esta constatação). Achei este dado curioso e desde aí que tenho prestado à qualidade dos meus pensamentos, e nos primeiros dias fiquei chocado ao perceber a repetição enfadonha, ainda hoje tenho dias e momentos de pensamentos muito repetitivos, o que mudou foi a consciência em relação a isso e o facto de ter percebido que há alternativa: posso pensar de forma diferente, posso imaginar, sonhar e improvisar. A conclusão que tirei disto é que também muda quem somos :).