Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Vida Urbana

por Jorge, em 01.02.06
(barulhos de carros, buzinas tresloucadas, uma criança a chorar)

Sons que se abafam, escondidos pelas paredes da estação de metro; corro pelas escadas da estação, o som de fundo fica diferente.

(publicidade repetida à exaustão, ruído dos comboios, voz-off de uma qualquer senhora que nos relembra que o prazo de troca de bilhetes acabou)

Entro na carruagem, depois do apito infernal antes do fechar das portas, estou cá dentro.

Ninguém fala no metro, evitamos cruzar olhares (fitamos o vazio), os passageiros esmagam-se uns contra os outros (e ignoram-se). Vejo-te no outro lado de uma estação, aceno e nem me vês. Estás perto e não tenho como contactar-te (não há rede de telemóvel debaixo do solo-, bolas!!)

(Entra um miúdo com um cão a mendigar, com tanta gente ali enfiada e acho que ninguém olha para ele de frente)

Raio da música é irritante, surgem os pensamentos superficiais e idiotas ("se já levou esmola podia parar de tocar"). FINALMENTE chego ao meu destino.

(Mais buzinas, uma discussão de rua e o som da chuva)

Grande molha que vou apanhar!!!! (água a entrar para dentro dos sapatos: ALERTA VERMELHO). Atravesso o labirinto de edificios e chego à minha casa.

(som da cidade abafado)

Ligo o pc e escolho uma playlist

(Sassetti, banda sonora do filme "Alice")

Escrevo um artigo, coloco no blog e partilho-o com quem quiser ler...

Jorge

2 comentários

Comentar post