Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Maneiras de prolongar sucessos…

por Jorge, em 28.12.03

potter.bmp



Li recentemente que a escritora Joanne K. Rowling está no topo da lista das mulheres mais ricas do mundo. Os mais atentos já reconheceram que falo da autora das aventuras do Harry Potter. Já li todos os livros publicados do Potter e apesar de gostar deles, ainda estou para descobrir porque é que se tornou um grande sucesso.
Para quem não sabe estão a saga completa deste feiticeiro vai ocupar sete livros, como eu hoje comecei a ficar preocupado com os rendimentos desta senhora após a saída do 7º livro decidi enviar-lhe algumas sugestões para prolongar as histórias (espero que gostem):
- O Potter chumba um ano (o que nos faz ter de aturar mais um livro), mas como repara que as suas notas não são grande coisa decide fazer melhorias de notas (mais 2 livros).
- Quando termina o curso e vai à secretaria pedir o diploma, há uma falha na base de dados em Hogwarts e perdem-se registos que comprovem que o Harry frequentou os primeiros anos… assim ele regressa ao primeiro ano (mais sete livros garantidos).
E como esta senhora também se tem tornado conhecida por uns (não completamente provados) plágios, sempre se pode roubar algumas ideias a outras histórias conhecidas:
- Voldemort é o pai de Harry Potter, e é também ele que tem o poder de devolver o equilíbrio à Força… de Hogwarts, claro :D
- Ron recebe um anel que só pode ser destruído no monte da condenação… mesmo ao lado do ministério da magia.
Pronto tenho estado aqui a brincar com os livros do Harry Potter, mas de facto recomendo-os, a ideia-base pode não ser muito original mas gosto da maneira como está escrito (e também gosto das personagens). O que ainda não percebo é porque é que agora quando alguém começa a escrever uma narrativa, avança logo com o número de volumes que esta vai ocupar, não é só o caso da Rowling… o autor português Filipe Faria também se propõe a escrever uma série de volumes sobre as suas histórias de fantasia. A mim parece-me um pouco “escrever a metro”, como é que isso se faz?

Aqui e Agora

por Jorge, em 25.12.03
“Dá-te eternamente a isto, a cada momento que passa. Em cada momento esta a vida que sempre ou nunca viverás...” Ditado Alquimista

Hoje acordei fascinado com os pormenores que me rodeiam, não foi por ser Natal foi antes porque acordei com um sorriso. Aliás o primeiro sorriso que fiz hoje foi porque acordei mais tarde do que queria, em vez de ficar irritado sorri. Depois, quando estava a tomar banho a água arrefeceu bruscamente, e em vez de resmungar também sorri. Pensei “Jorge, estás doido!”, e então é que fiquei feliz da vida… porque se ser doido é isto, então para quê ser “normal”.
Fui almoçar a casa dos meus avós (com a minha família, aproveito para elogiar o almoço… Muito bom), fui a pé e apreciei o frio matinal com grande satisfação. Ouvi atentamente todos os segredos que os pássaros me quiseram contar, e recebi com grande satisfação o suave murmurar da cidade.
Lembrei-me da sensação de querer viver grandes aventuras, enfrentar os maiores vilões de sempre, correr pelo mundo… no fundo o que continuo a querer. Ter 22 anos é uma seca, já que a maioria das pessoas desta idade são demasiado sérias e sem imaginação… pior, a maioria das pessoas quer que tu funciones de uma forma muito específica (tem que ser algo adulto, ou seja, quase tudo chato).
Eu continuo a ler ficção e banda desenhada (mas também não fico por aqui), vejo desenhos animados, gosto muito (mas mesmo muito) de sorrir, sou cientista e acredito em magia, interesso-me pela busca do Graal… e sinto-me bem deslocado do contexto social em que vivo. Sei perfeitamente que se encontrasse, aqui e agora, o miúdo que um dia eu fui, ele ficaria orgulhoso do “adulto” em que me tornei. Continuo a viver a histórias fantásticas e tentar cumprir as jornadas que parecem impossíveis… também estou contente com QUEM SOU, pelo menos aqui e agora.

Texto: Jorge Amorim

Bom Natal!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

por Jorge, em 25.12.03
Ocupei-me demasiado com doces e nem preparei um acolhedor texto de Natal. Espero que se estejam todos a divertir. E que hoje aproveitem o dia de forma criativa e construtiva, de preferência a demonstrarem o afecto que sentem pelos outros (é o meu voto para o dia de hoje). Até Breve, um grande abraço.

O Fim chegou...

por Jorge, em 21.12.03

blog.jpg


A jornada começou em Dezembro de 2001 e termina agora. Sem adiantar muito do 3º filme (vejam primeiro e depois falamos) digo que consegue terminar bem a trilogia e que acaba por ser uma boa adaptação do livro (como toda a trilogia). Obviamente que estou a falar de “O Senhor dos Anéis”.
Relembro que é uma adaptação, por isso se ainda não leram os livros não se fiquem pelo filme. Porque vão aprofundar muito mais a história e conhecer a história no seu estado “puro” (se puderem leiam a versão em inglês).
E lembrem-se "The road goes ever ever on" ...

Referendo após 2006

por Jorge, em 19.12.03
Hoje li no jornal "Público": "A maioria parlamentar que suporta o Governo, ou seja, o PSD e o CDS, não darão consentimento para que seja convocado um novo referendo sobre a despenalização do aborto durante a actual legislatura". O motivo principal dado pelo Sr. Durão Barroso, é que durante a campanha eleitoral de 2002 prometeu que não repetiria o referendo na actual legislatura. Também evidenciou que o referendo deverá ser feito mas sem pressas.
Quanto ao que penso, é que o motivo principal não é válido porque os políticos passam o tempo todo a não cumprir as suas promessas (além disso gostava de conhecer o contexto e os motivos para essa promessa de não tocar na questão do aborto). Por outro lado também me preocupo com um referendo deste tipo a curto prazo devido à falta de informação imparcial divulgada sobre o assunto, o referendo anterior foi uma desgraça tanto em termos de campanha como em relação à participação da população.
Acho que há uma coisa que não está muito bem clarificada a questão do referendo não é se somos ou não a favor do aborto a questão é se deve haver penalização para quem o faz. Não é a mesma coisa, como algumas campanhas quiseram demonstrar. Claro que temos que fazer uma análise ética da situação, mas também não nos podemos esquecer das questões humanas e sociais.
Antes de dar o meu parecer sobre o assunto, gostava de saber os vossos. Participem através dos comentários!

Texto: Jorge Amorim

Já viram este sorriso em algum lugar????

por Jorge, em 17.12.03

Sauronblog.jpg


Mesmo ocupado não podia deixar de anunciar que a partir de hoje já podemos ir ver o capítulo final da trilogia de "O Senhor dos Anéis", "O Regresso do Rei". Eu, infelizmente, só poso ir ver no Sábado (sniff, sniff). Assim que virem o filme deixem aqui os vossos comentários.

Preso por fortes correntes...

por Jorge, em 17.12.03
Ok, já passa da meia-noite... ainda estou acordado, muito preocupado. Tenho uma montanha de louça para lavar (estupidamente acumulada durante trÊs dias), um trabalho por terminar que é já para apresentar de entro de 18 horas e continuo em frente ao pc a utilizar o messenger.
Decidi antes de desligar, escrever este post para aunciar que estou quase de férias :P e que em breve vou poder concentrar-me mais na escrita... espero que continuem a visitar o blog. Grande Abraço. Jorge

O Batráquio voltou a atacar :(

por Jorge, em 13.12.03
Não tenho conseguido aceder a este blog... não faço a menor ideia do que se passa. Já vi na gestão do blog que tenho comentários para responder, vou continuar a tentar aceder ao blog (eu consigo chegar á edição do blog, mas não consigo abrir o link do blog). Sabem se isto também está a acontecer a algum outro blog????? Ou será que o batráquio voltou a atacar (ver em http://mundodojojo.blogspot.com para mais informações sobre a criatura dos pântanos ;) ). Tenho um post preparado para colocar aqui, mas antes quero voltar a conseguir abrir o blog.

Diz respeito a Gaia...

por Jorge, em 11.12.03
"Os antigos sabiam qualquer coisa que nós parecemos ter esquecido"
Albert Einstein

Gostava de conhecer a experiência de ver uma aurora boreal, ou um eclipse total do Sol, deve ser daqueles momentos em que nos lembramos como há tanta beleza no Universo. Há três anos assisti a uma chuva de estrelas fantástica que me inspirou a escrever. Contactar com a Natureza purifica-me os pensamentos.
Mas não são apenas as belezas exteriores ao planeta Terra que nos lembram da beleza. Basta pensar na presença do Mar, ou como é passear por uma velha floresta esverdeada, para também sabemos que estamos perante algo majestoso. O que faz falta no labirinto urbano em que vivo, são espaços naturais belos, locais onde possamos sentir uma ligação verdadeira com a natureza. Já estou farto de ver betão para onde quer que olhe.
Correr, rebolar, cantarolar e saltar é óptimo em espaços naturais, onde podemos passear com pássaros, conversar com as árvores. Ou preferem passar o tempo a respirar o ar condicionado de um centro comercial, onde somos comprimidos por pessoas que estão sempre com pressa de chegar a algum sítio? Se sim, a escolha é vossa. Isso também não significa que os vossos gostos sejam piores, apenas diferentes. Desde que não sejam a favor da poluição, ou que não estejam a contribuir para ela, porque aí já estamos em lados diferentes.
Se pensarmos em conjunto sobre o estado actual do planeta, conseguimos facilmente chegar a um acordo: os seres humanos estão a saqueá-lo com toda a brutalidade que conseguem. E de tal forma estamos habituados a certos comportamentos ou costumes que participamos neste saque sem grande consciência.
Um amigo meu disse-me que alterar os hábitos materialistas implicava profundas alterações económicas, logo estava a falar de utopias. Na altura respondi-lhe, e agora faço-o aqui para os tantos que respondem como ele. Por acaso o modelo económico resolveu os problemas do mundo? E de que adianta continuarmos com o estandarte do modelo económico se daqui a uns anos o planeta está esgotado? De que adianta continuarmos a consumir exageradamente, para deixarmos tudo devastado aos nossos filhos e netos? E agora respondam-me sinceramente, quem lucra com este desgaste planetário? Quando dizem que é a espécie humana, rio-me de tristeza. São apenas uns quantos que lucram com a desgraça do ambiente, das espécies… e não se esqueçam que a nossa espécie também faz parte da lista… quando não restar nada, também não restarão humanos… nem nenhuma economia.
Será que a humanidade vai tomar consciência do que está a fazer? Então que seja para breve…
texto: Jorge Amorim

Justificação de faltas

por Jorge, em 08.12.03
moon.jpg

Tal como um detective persegui os meus próprios passos para saber porque não tenho actualizado este blog. Sim, vesti a pele de um Sherlock Holmes do Século XXI, ocupei a minha mente com este caso e descobri a resposta à questão da ausência de posts.
O contexto é Lisboa, a cidade banhada pelo Tejo e vigiada pelo Castelo de S. Jorge, Dezembro de 2003… e mete pelo meio um fim-de-semana prolongado no qual me dei ao luxo de preguiçar… nada de posts neste blog (a não ser hoje). Na verdade escrevi um outro post mas foi no meu outro blog, que para quem conhece é “O Mundo do Jójó” (vale a pena visitar, hehe).
Por isso hoje tenho realmente pouco a contar… ouço Eva Cassidy… teclo estas palavras, mas hoje não me apetece estar aqui em frente ao Pc… gostava de estar a passear. Obrigado por visitarem este blog, espero que continuem a fazê-lo… esta semana (a seguir ao feriado) voltarei em força.

Pág. 1/2