Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

É sábado mas (quase) não me esqueci do blog

por Jorge, em 31.07.10

Assim que me lembrei que o despertador estava ligado ao Sábado, era tarde demais. Acordar às 08h da manhã apenas por um lapso técnico é um soco no estômago (e, de certa forma, um pequeno certificado de estupidez humana). Lado positivo comecei por tratar das actividades domésticas, o pesadelo de todas as pessoas que vivem sozinhas (e não têm empregada para tratar disto). Tomei um pequeno almoço a olhar para o Tejo, nas calmas, seguiu-se um duche relaxante e lá fui eu para o ginásio.

 

Fui a uma aula de body combat levar uma coça (amanhã devo estar bonito), almoço vegetariano com a minha Raposa, visita a casa dos avós. Tudo direitinho, nem parecia meu. Estava sentado a lanchar quando "PORRA!!!! Esqueci-me do post de hoje no blog, o meu desafio auto-imposto". Inventei uma desculpa ranhosa, corri até casa (estilo Forest Gump) e teclei que nem um doido (é este post, vá lá não se queixem muito).

 

Agora duche e a caminho da festa de aniversário do Hemmingway :)

Até amanhã

 

Dia 04

Texto: Ja

Hora do Sushi - Por um iniciado

por Jorge, em 30.07.10

Durante alguns anos pensei em arriscar em comida japonesa, algo que só fiz em 2009. A primeira experiência não correu muito bem, pois era um restaurante chinês a fingir que era um restaurante japonês (parece que há muito por aí). Por um golpe de sorte, um amigo indicou-me um sítio onde pude saborear e aprender mais sobre sushi.

 

 

 

 

 

1) Escolher um bom restaurante japonês?

 

Em Lisboa, recomendo o Mayumi situado na Av. António José de Almeida 5C (Alameda) - 217993145 (façam reserva).

Encarem como uma experiência ou ritual e vão para lá com tempo para saborearem os cheiros, texturas, sabores e cores.

Comam com pauzinhos ou com as mãos, deixemos os talheres de parte. A sopa é para ser bebida, mesmo que vos entreguem uma colher ignorem-na.

 

2) Cumprimentem o itamae (o mestre da cozinha japonesa)

 

Mesmo que não comam perto dele, aproximem-se, cumprimentem-no com máximo de respeito e cordialidade e peçam sugestão (e nos vossos pedidos dêem espaço para ele usar a sua criatividade).

 

3) Se for a vossa primeira experiência com comida japonesa vou deixar umas dicas que me deram jeito

  • primeiro cenas cozinhadas (como crepe com vegetais, ravioli japonês, camarão panado)
  • provem sushi vegetariano (com frutas e vegetais)
  • experimentas os rolos (atum é suave para começar), mergulhem no molho de soja (com um pouquito de wasabi)
  • experimentas sashimi
  • terminam com uma sopa  miso
  • refeição acompanhada com chá verde frio ou sake

 

Sou um iniciado, mas espero que a minha partilha vos seja útil. Aguardo as vossas sugestões.

 

Dia 03

Texto: JA

Foto: JA

Experiência MEO

por Jorge, em 29.07.10

Senhora Simpática (SS): Boa noite! Sei que tem o serviço Sapo ADSL, já ouviu falar do MEO?

Jorge (J): Claro que não, vivo numa caverna não sei do que fala (risos).

(SS): (risos) Então e o que acha de ter Internet, TV e BLA BLA BLA BLA... por menos dinheiro que gasta e BLA BLA BLA BLA

(J): Não estou interessado, sou um gajo rico e adoro esbanjar dinheiro (risos)

 

[a conversa repetiu-se durante meses - NÃO EU NÃO QUERO A PORRA DO MEO! DEIXEM-ME! NÃO, NÃO VIVE CÁ NENHUM JORGE FOI VIVER PARA A ÁFRICA DO SUL]

 

Até que um dia...

 

 

J: Sim, estou interessado em mudar. [PUMBA]

 

(...)

 

 

A) Instalaram

B) Configuraram

C) Explicaram-me os primeiros passos

D) De 4 canais passei a muitos

E) A BOX :D

 

 

Ao fim de uma semana, estava muito contente, gravava o "Doctor Who" e antes de ir para o trabalho conseguia ver um episódio. Depois passei a gravar filmes como "O Padrinho", "Forest Gump" ou "Melhor é impossível". Voltei a viajar numa época de inocência onde conseguia retirar coisas boas de poucos minutos em frente à televisão.

 

Até ao dia em que encontrei a Box da Meo com uma luz laranja, não acontecia nada quando ligava ou desligava. Antes de ligar para a assistência procurei em fóruns, encontrei uma solução engraçada "dar um ponapé na box". Ri-me, segui em frente. Encontrei outras, "soco na box", "double kick na box", "cabeçada na box". Basicamente uma solução que requeria uma simples coça na Box, achei aquilo muito selvagem e simplesmente desliguei a alimentação à corrente e voltei a ligar... NADA.

 

Ao acordar, depois de verificar a persistência da luz laranja, espetei uma chapadona no lado direito da box e está ali a funcionar que é uma maravilha.

 

Mas não se preocupem, só vejo uma hora de TV por dia (ainda bem que tenho a box para gravar e ver os filmes às mijas)

 

Dia 02

Texto: JA

Imagem: roubada indecentemente da net

 

 

 

30 dias de Sonhos Urbanos

por Jorge, em 28.07.10

Um blog sem actualização é como uma casa abandonada, um desperdício.

 

Acabou-se a mentira do "bloqueios de escrita". Palavras não faltam, ideias também não. É uma decisão minha.

Então e se isto voltasse a ser diário? Nem que fosse por 30 dias. Será que consigo?

 

Um post por dia durante 30 dias. Não vale ser só uma imagem ou uma letra de música ou um video, tem de ter texto original.

 

Será que alguém quer ler?

 

Para este desafio vou precisar de todos os leitores que aqui passam. Usem a função de comentários e incendeiem isto, convidem-me a abordar este ou aquele tema. Critiquem o que aqui coloco! Juntem-se à nova revolução da blogoesfera, vamos despertar para a leitura e para a escrita. Isto é tão fácil, não precisamos de uma editora (temos o nosso amigalhaço SAPO), não precisamos de ter venda, podemos fazer do nosso blog o que quisermos.

 

Este foi o meu compromisso público que farei tudo para cumprir. Vamos ao texto que me passou hoje pela cabeça (logo depois da fotografia).

 

 

Tirei esta fotografia na Penha de França (em Lisboa, algures em Junho deste ano), lembrei-me do início do "The Invisibles" (Obra do Grant Morrison que estava a reler na altura). Em tempos também pensei que a solução seria destruir todas os grilhões da aprendizagem instituída pelo sistema de ensino (em plena adolescência), hoje acho que devemos pegar no que interessa (e funciona bem), acrescentarmos o que falta e investirmos mais no ensino das pessoas (todas as idades).

 

Incomoda-me a celebração e culto da ignorância. Acho que a solução não passa apenas por cada um de nós cultivar mais a sua mente, não quero uma elite de intelectuais, desejo um futuro com pessoas que gostem de pensar, aprender e ensinar.

 

O que andamos a aprender e a ensinar? Seja nas formações em que participamos, seja em casa ou no grupo de amigos.

 

Várias vezes ouço as queixas que "a miudagem actual não tem qualquer educação", pois mas as gerações anteriores também não têm e quando chega a vez de ensinarem apresentam os resultados dos quais se queixam. É um problema de todos, vamos parar de queimar escolas e ideias e vamos criar espaços de partilha de conhecimento. Se não conseguirmos isso a um nível grande, vamos fazer nas nossas casas e com as pessoas com quem gostamos.

 

E assim declaro publicamente a minha guerra contra a ignorância.

 

 

DIA 01

Texto: JA

Foto: JA

 

"Quando as plantas florescem na primavera, ali os homens escrevem os seus nomes. Mas quando as plantas florescem no inverno, ali se escreve o nome do Grande Mistério..." - Ruben Alves

 

Summer Nights

por Jorge, em 27.07.10

Este calor anda a cozer-me a mente...

Barras

por Jorge, em 14.07.10

Não sei quanto tempo ficarei aqui, mas através destas barras eu vejo esperança.

Mesmo que tenha alimento e abrigo, não tenho a liberdade e a incerteza.

Se continuar assim, só estou à espera do dia em que morra.

 

O que vou fazer? Fico na mesma? Saio?

 

Ou aproveito e comunico com os visitantes do Zoo? "Então pá, tudo bem?", "Tudo", "E a família?" ... Aposto que lá fora têm conversas interessantes mas nós, os encarcerados, temos vista curta para diálogos criativos.

 

 

E se sair desta jaula o que vou fazer?

 

"I don't like jail; they got the wrong kind of bars in there."

Charles Bukowski

 

Fotografia: Nuno Silva

Texto: Jorge

A Conquista do meu Tempo

por Jorge, em 07.07.10

Finalmente tenho tempo para fazer coisas.

 

Tracei as minhas prioridades e concentrei-me apenas no que é essencial fazer, o mais complicado foi definir as actividades essenciais.

Mas arranjei tempo para essas definições e agora não ando a correr de um lado para o outro.

 

A semana passada consegui sentar-me para jogar um jogo de tabuleiro ("O Lobo") e a conversa fluiu na mesma, soube bem.

Consegui ter tempo para viver um fim-de-semana fantástico de auto-desenvolvimento.

Todos os dias tenho lido livros, bem sentadinho no meu sofá (não precisa de ser apenas nos transportes públicos).

Todos os dias tenho comido mais devagar e ao terminar não corro para fazer as actividades pendentes.

 

Hoje apetece-me ouvir música e sei que vou conseguir sentar-me uma hora só para saborear alguns dos meus CDs.

E posso garantir: isto tem ajudado muito a acordar com um grande sorriso na cara e a fazer tudo o que me proponho.

 

Abraço grande a todos os que têm contribuído, directamente e indirectamente. :)

 

kudos

por Jorge, em 05.07.10

Hoje estou de parabéns, pelas minhas conquistas pessoais. :)

Uma pessoa tem de se tratar bem para o conseguir fazer a outros.