Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Rede Social

por Jorge, em 30.10.12

Há que escolher bem.

Sou das pessoas que se move por desafios, se ele tiver um nível de dificuldade épico eu perco o sono, sem vontade de continuar... E ao falar com alguém lembro-me porque faço o que faço, recupero a vontade de superar o desafio de queixo erguido e supero-o. E sinto que cresci.

 

Esta componente social relembra como é importante termos bons amigos que estão disponíveis para realmente se interessar pelo que fazemos e que nos dão a ajuda no momento certo. E esta ajuda não é para ficarmos na mesma ou apenas para choramingarmos ou para estimular a nossa cobardia, é para vivermos bem.

 

 

 

 

 

Sim, este post é para dar um soco na barriga dessa moda social irritante de grupelhos que ficam pela superficialidade, pensamento de manada e que não estão minimamente interessado nos outros.

A rapariga que pensava que era cobarde

por Jorge, em 26.10.12

[acompanhar com este som - The National, "Runaway"]

 

Ela era fria e cobarde, até tinha o cuidado de avisar as pessoas. Fugia de tudo o que tivesse a ver com o Amor. Rosnava palavras de ordem ao mundo, escondia o sorriso, camuflava o brilho nos olhos e até fingia esquecer as palavras que precisava de gritar ao mundo.

 

Disse-me que preferia brincar sozinha, muito mais seguro. Disse-me que nem se interessava por nada ou que não tinha nada para partilhar. Mentia com todos os dentes.

 

["We don't bleed when we don't fight"]

 

Passeava com a sua bolha social e impedia as pessoas de se afastarem e acreditem que todo o universo ficava a perder com isto...

 

 

 

E eu aqui fiquei afastado a ver e a torcer para que um dia mostrasse a todos tudo o que tinha de bom, que é uma sonhadora sem limites capaz de fazer tudo o que se propor a fazer.

 

["Throw your arms in the air tonight

We don't bleed when we don't fight
Go ahead, go ahead
Lose our shirts in the fire tonight"]

Lógica de Bróculos

por Jorge, em 25.10.12

Pretendem adquirir um serviço com antecedência de 7 dias, se acção for feita na internet com esta distância temporal passa a existir um desconto de 25% (promoção apresentada pela marca). A desvantagem: o reembolso não poderá ser feito.

 

 

Ligo o site, faço registo e ao fazer a compra dá erro "não podemos garantir esse serviço". Ligo para o número de apoio, sou muito bem atendido, e explicam-me que não sabem se posso receber o serviço nesse dia, só mais próximo da data.

 

solução apresentada pela empresa: compro mais próximo da data a preço normal (mas será que não percebem que assim não quero, vou a outro sitio).

 

E algum espertalhão diz, "ah mas assim tiveste de comunicar com eles"... Hum e vou adquirir a outro sitio que não precisa de truques destes para "comunicar".

 

Esta é a lógica de bróculos que se usa em Portugal para estimular as vendas?

Gestão de Tempo (a pedido de algumas pessoas)

por Jorge, em 24.10.12

A minha melhorou assim:

 

  • o essencial primeiro.
  • resolver coisas que podem começar a acumular (antes que acumulem)
  • limpeza brutal de feeds no google reader (não me interessa tudo o que se passa na net, ler tudo não é estar actualizado é estar sobrecarregado).
  • emails não são um chat, logo não preciso de responder no minuto.
  • menos twitter, menos facebook, mais coisas relacionadas com os meus interesses.
  • o não-essencial até pode ser cortado de vez.

 

Precisamos de vocês para chegar mais longe

por Jorge, em 23.10.12

Um ano atrás pensei num Ginásio Mental, 5 meses depois estava, juntamente com duas amigas, a realizar este projecto no Bairro da Cova da Moura (através da ASSACM). Depois vieram as workshops para pais e professores, em seguida os acompanhamentos individuais. O projecto tem vindo a crescer, graças ao nosso trabalho e às pessoas que o têm divulgado apenas por acreditarem nele, isso sim faz-me acreditar no que são as saudáveis (e úteis) redes sociais.

 

Ginásio Mental

 

Actualmente estamos também no Orçamento Participativo de Lisboa, num projecto mais alargado que se chama "Passaporte Escolar +". A ideia é criar/aplicar novas formas de optimizar a Educação para as levar às escolas públicas (na cidade de Lisboa).

 

Todos os que querem apoiar o projecto, do qual fazemos parte, através da votação no orçamento participativo de Lisboa vão aqui.

 

 

Obrigado a todos pelo vosso apoio e reconhecimento!

 

 

Jorge Amorim

http://about.me/jorgeamorim

And today...

por Jorge, em 22.10.12

Trabalhar por conta própria exige, entre outras coisas, um bom planeamento de tarefas e a sua realização nos prazos adequados.

 

Folhas soltas, clipes, agrafos, lápis, iPad, caneta e muitos blocos.

Esta semana implica: muitas leituras e entrega de trabalhos escritos. Apesar de estar tudo  planeado é um desafio de execução.

Recurso ao Google Drive, Evernote e Dropbox são essenciais para ganhar tempo.

 

 

Que utilização dou às ferramentas?

Evernote: todos os apontamentos que faço, principalmente de pesquisas rápidas pela net (graças ao add-on do Chrome é ainda mais rápido)

Dropbox: armazém essencial de material que preciso consultar (ebooks, imagens, documentos importantes e certificados digitalizados)

Google Drive: onde os documentos são escritos e guardados (versões finais também ficam na dropbox)

 

E agora alguém pergunta: e as listas de coisas para fazer?

Consulto o Google Calendar e em algumas ocasiões recorro ao wundelist.

Listas para mim só funcionam para identificar prioridades, não sou escravo de produtividade.

 

E onde vou buscar o tempo extra?

Tiro tempo ao twitter, facebook e afins. E esse tempo extra ganho é para descansar.

 

Votos de uma boa semana.

Existem estas placas?!?!

por Jorge, em 19.10.12

Sim, tanto nas ruas como na cabeça das pessoas.

Escolher "todas as direcções" é optar por ficar na mesma.

 

 

O risco que se corre ao seguir esta placa é entrar num loop infinito.

Folhas amareladas, acastanhadas e secas

por Jorge, em 11.10.12
O Outono chegou, as árvores perto da minha casa dão os sinais que preciso. Chegaram então os dias para ficar em casa a beber uma chávena grande de café e passar mais tempo a colocar a escrita em dia. Muitos livros e artigos por ler já se encontram estrategicamente colocados na sala, comecei a fase inicial da minha tese de mestrado. Basicamente estou a explorar um tema do meu agrado de um dado ponto de vista para definir a minha pergunta de investigação.

Quando escolhi o mestrado em ciência cognitiva não sabia bem a trabalheira que me ia dar. Sim dá muito trabalho. Sim vale a pena. Basta de chorqaminguice e toca a estudar e investigar.



Duas decisões académica feitas esta semana implicam mais horas de trabalho, algo que deve ser bem ponderado por trabalhar por conta própria. Para quem não sabe implica uma série de pesquisas, reuniões e esperas imprevisíveis por respostas. Julgo que os truques são: gerir bem o tempo, fazer o essencial e gostar do que se faz. Antes de dormir sobra uns minutos para ler Marcel Proust, "em busca do tempo perdido ".