Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Relações Amorosas – A Magia Começa

por Jorge, em 19.07.05
“There are only four questions of value in life, Don Octavio. What is sacred? Of what is the spirit made? What is worth living for, and what is worth dying for? The answer to each is the same: only love”

Don Juan, em “Don Juan DeMarco


Uma experiência muito subjectiva é amar alguém, por isso não há regras quando se fala do assunto. Porquê escrever sobre isso então? Apenas porque acho que se não escrever muito sobre isso este blog não transmite quem sou, afinal é indissociável da minha vida. Pelos comentários que recebi é um tema que também mexe convosco.

Quando escrevo "a Magia começa", estou a referir-me ao momento em que nos apaixonamos. Os dias ficam tão diferentes, passamos a ter comportamentos mais estranhos (e no geral, muito belos).

Só me lembro de um período da minha vida em que não estive apaixonado e os meus dias eram bem cinzentos. A paixão pode levar ao Amor mas nem sempre, pode ser apenas uma pequena faísca de interesse.

Não concordo quando algumas pessoas dizem “o Amor começa quando a paixão acaba”, acho que podem coincidir (uma relação que cada vez se torne mais interessante e intenso parece-me um objectivo a atingir).

No entanto, o Amor é mais do que uma faísca de interesse, é algo mais puro e não é centrado em objectivos. Podemos amar sem receber nada em troca e continuarmos a alimentar esse Amor.

Mas como é que isso acontece??? Sei lá! De um dia para o outro queremos estar mais tempo com uma pessoa, conhecê-la e partilhar momentos mágicos com ela. Como se fossemos atingidos por um raio.

E a partir do momento em que amamos alguém queremos que essa pessoa seja o mais feliz possível (o que quer que isto signifique) e fazemos tudo por isso.
Passo a partilhar com vocês algo em acredito, o tempo pode desenvolver muito o Amor entre duas pessoas.

A pergunta que deixo para um próximo post: E a paixão? Poderá essa “faísca” de interesse permanecer ao longo do tempo?

Jorge

Nota: já usei esta citação neste mesmo blog a 30 de Janeiro de 2004, como podem confirmar se visitarem os arquivos

3 comentários

Comentar post