Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

A estranha

por Jorge, em 16.03.05
A minha mãe disse-me em tempos para não falar com estranhos, mas quando apareceu uma estranha de olhos profundos e sorriso encantador... bem... não pensei muito, verdade seja dita. Mais estranho é que não reparei que tinha a pele verde e umas asas transparentes.
Prometeu-me o Universo em troca do meu coração, argumentei que precisava dele para viver, não era desse que falava. Era o outro coração, o que nos fazia amar (ou odiar, dependia da situação).
Seduzido por ela, abidquei do meu coração. Em troca recebi tudo o que existia... e passei a viver no vazio.

Jorge

6 comentários

Comentar post