Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Uma gargalhada como muitas outras

por Jorge, em 05.11.04

“Existem algumas coisas que são tão sérias que é preciso rirmos delas “ - Niels Bohr


Numa sonora gargalhada escondi todo o medo que senti naquele momento, medo de ser parvo aos olhos de outros.


Não te importes com os outros dizem ou pensam de ti… é de facto uma pena que isso se torne uma grande merda quando os “outros” são alguém de quem tu gostas realmente.


Talvez deva dizer a verdade, os olhos dos outros são na verdade os teus olhos. Por isso reformulo parte da primeira frase: medo de ser parvo aos teus olhos.


Por mais à "prova de pessoas" que queira parecer, a verdade é que há sempre alguém que gosto de agradar. Aquele alguém que num dado momento eu gostava que me visse como o melhor ser humano que já existiu, às vezes uma amiga, ou um familiar, ou a minha querida raposa, ou o estranho que acabei de conhecer (e que sem saber porquê captou a minha atenção e admiração).


E quando fico parvo aos teus olhos, sinto-me menor. Mesmo assim tento demonstrar indiferença à tua avaliação, e coloco uma piada para “partir o gelo”. Quem quiser acreditar nessa piada como o verdadeiro reflexo do meu interior que o faça, acredito é que essa pessoa está muito enganada. Mas de facto se há alguém a culpar por este engano sou eu, afinal quem está a passar a imagem errada?


texto: Jorge Amorim

6 comentários

Comentar post