Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Bang Bang (Tiros na criatividade)

por Jorge, em 24.01.06
Regresso à escrita de improviso (mesmo que passem erros ou ideias mal explicadas, é bom escrever livremente), escolhi como tema algo que me incomoda a algum tempo. Quando os fãs atacam ferozmente a criatividade.

A origem deste tema está nas conversas que troco com muitos fãs de comics, alguns deles detestam a mudança na forma de contar histórias e continuam presos a histórias de décadas passadas. Uma coisa surge na minha mente: se querem ler as mesmas coisas porque não reler o que está escrito em vez de estar a julgar o que se escreve com a expectativa que tem de ser igual ao anterior????

Claro que se escreve muita porcaria no Universo dos comics (mas também se escreve muitas comics de grande qualidade). Noto alguma tendência para "bairrismos", a alguns autores permite-se tudo, a outros nada.

A minha forma de reagir como crítico, se deixar de gostar da forma como está escrito abandono um dado título. Para quê continuar a ler o mesmo e estar sempre a escrever mal do mesmo (por vezes, durante ano a fio).

Acho que deve escrever tudo, esquecer a continuidade de séries intermináveis. eliminar as "vacas sagradas" e não bloquear qualquer sinal de criatividade.

Jorge

Tarde Diferente

por Jorge, em 21.01.06
Já notei que não tenho escrito neste blog, mesmo assim algumas pessoas quiseram relembrar-me disso. Obrigado, fiquem descansados que a minha memória é boa. :)
Tenho andado com outros projectos em mente e o meu querido blog tem sido colocado de lado. Vamos lá actualizar isto!!!!

Hoje fui, com a Raposa (dica: óptima companhia!), visitar a BTL (Bolsa de Turismo de Lisboa, se não me engano). Onde aproveitei sonhar alto com as viagens que ainda não fiz (gosto de pensar nelas como "temporariamente adiadas").

Como qualquer evento deste género, trouxe uns 30 kg de folhetos que, muito provavelmente, nunca irei ler. E sempre que usava este argumento para não pegar neles, a Raposa dizia "então levo eu e vou ler" (quero ver isso, menina Raposa!) e lá metia eu no saco.

Recomendo a parte da gastronomia, um local fascinante para esquecer cuidados com a alimentação (que seja só desta vez, sem exemplo). Todos os pavilhões da BTL têm a fantástica característica de ter jovens raparigas muito giras, ainda não supera o ISPA mas vale a referência.

Foi uma tarde de Sábado diferente... Imaginem depois o esforço épico para carregar aqueles folhetos todos... :P


Resumindo a BTL em palavras-chave: miúdas giras; sorrisos abertos; abundante papelada.

Jorge

Serão as mulheres perigosas?

por Jorge, em 15.01.06
Ora aí está uma boa pergunta!!!!

Esta questão já passa pela mente desde que nasci, com o passar dos anos a resposta tem dançado em frente aos meus olhos. ;)

Venho pedir ajuda. :P

Jorge

A Fresh New Start

por Jorge, em 13.01.06
Como disse o Gandalf, uma etapa da jornada terminou e começa outra.

Ontem não assinalei no blog, por excesso de ansiedade, mas foi o dia da apresentação pública da minha monografia. Perante um júri de professores e uma audiência de familiares, amigos e colegas ocorreu um ritual de passagem (que de certeza não vou esquecer).

A apresentação do trabalho correu sem sobressaltos exteriores, com muitos interiores (em alguns momentos cheguei a pensar que o meu coração queria saltar e ter uma vida própria).

Na verdade aquele momento, simultaneamente angustiante e estimulante, passou num instante (se bem que houve momentos em que pareceu uma eternidade, devido ao nervosismo que senti).

Além da apresentação e discussão da monografia, foi um convite à meditação sobre o percurso académico que realizei (e que está directamente ligado à minha evolução pessoal). Essa meditação ainda continua na minha mente, até ao minuto que escrevo.

Quando acabou, vieram os cumprimentos e o fim de uma parte do meu caminho. Os meus pais vieram ter comigo, os meus amigos também, gostaram muito (e eu num estado meio zonzo, ainda sem saber o que pensar). Passados alguns minutos tomei real consciência: Acabou!

Fiquei com um sentimento de ganho (um objectivo cumprido), juntamente com um de perda (vou ter saudades daquele estabelecimento de ensino, dos professores, dos colegas.

Hoje começa a minha procura de emprego, que é de longe mais interessante se olhar de uma forma diferente: "Vai começar uma nova aventura, cheia de novos desafios e aprendizagens".

Deixo o meu agradecimento profundo a todos os que nestes anos me têm dado apoio.

Abraço
Jorge

What the F***?!?!?!?

por Jorge, em 12.01.06
A Marvel colocou isto no site como sendo o novo uniforme do Homem-Aranha, reparem que tem as cores do Homem-de-Ferro (é ele que vai fazer o uniforme).




Na minha opinião, é do mais fatela que há.

ACTUALIZAÇÃO (15/01/2006):



Esta imagem tem melhor aspecto que a primeira, mas mesmo assim não convence. De qualquer forma, não durará muito.


Jorge

O que tens para partilhar?

por Jorge, em 10.01.06
Não nos poupes dos benefícios dos teus dons. Vá lá, não te bloqueies. Mostra-nos lá o melhor que tens?



Jorge
(a manter a sua palavra)

Ultimates Vol. 3

por Jorge, em 08.01.06
Eu sei que o volume 2 desta série ainda não terminou mas ao ter acesso a estas imagens (da próxima série) tinha que as partilhar



A arte destas três ilustrações é do Joe Madureira.



Posso dizer que estas imagens aguçaram a minha curiosidade.



Bem, esta Viúva Negra parece escaldante. :P

Jorge
(ainda com um bocado de receio por saber que o Mark Millar já não será o argumentista da próxima série)

Um novo passo

por Jorge, em 08.01.06
Ao fim de alguns meses de ter adsl, deixei de ter pesquisas para fazer na net. Foi o oposto do que esperava, achava que iria deliciar-me a fazer pesquisas diárias sobre variadíssimos temas. Maldito Messenger que me tem escravizado, ao menos o Hi5 não pegou.

Felizmente que desde o passado mês de Dezembro passei a ter o programa, referido anteriormente, mais vezes desligado e passei a percorrer a Web em busca de informação.

Sim, porque ao preço a que pago a adsl bem que tenho que rentabilizar a sua utilização, não pode ser apenas mula, blogs e podcasts.

Jorge

Susanna Clarke

por Jorge, em 07.01.06
Na mais recente Feira do Livro de Lisboa (Junho de 2005), houve um livro de fantasia que captou a minha atenção: “Jonathan Strange e o Sr. Norrel”. Não o adquiri e adiei a sua leitura.
Mais tarde, a Raposa decidiu comprá-lo e consumiu as suas palavras com grande prazer. Sugeriu-me que o lesse mas, no momento em que o fez, andava focado na redacção da minha monografia e, uma vez mais, adiei a leitura do livro.
Antes de 2005 ter terminado, peguei nele. Fiquei fascinado com a leitura das primeiras 197 páginas, parei e reli alguns pontos da história, de forma a ficar bem documentado para melhor saborear o conteúdo das páginas seguintes. Este post não é sobre o referido livro, é sobre a senhora que o escreveu.



Nunca tinha ouvido falar de Susanna Clarke até ter começado a ler o livro (sim, porque apesar de ter notado no livro em Junho de 2005 não liguei ao autor). Como fiquei deliciado pela sua forma de escrever, dei um pulo ao site oficial e fiquei a saber um pouco mais da autora e do livro.

Saltemos as pequenas notas biográficas. Na sua lista de livros predilectos coloca Emma (de Jane Austen), The Man Who Was Thursday (G.K.Chesterton), Watchmen (Alan Moore) e as histórias de Sherlock Holmes (Arthur Conan Doyle). Fiquei surpreendido, é raro uma escritora colocar uma banda desenhada (Watchmen) na sua colecção de livros favoritos, ainda por cima a revelar um grande bom gosto (na minha opinião, obviamente). A sua referência às histórias do maior detective do mundo também me colocou um sorriso na cara, por este também ser um dos meus heróis de infância.

Na entrevista, quando chegou a vez de indicar um pouco sobre quem são os seus escritores favoritos e porquê, o meu sorriso alargou-se mais (se tal já era possível). Jane Austen por ter chegado tão perto da perfeição quanto possível. Alan Moore (de novo) pois faz com que os adultos regressem às lojas de BD. Charles Dickens por ser grande como o céu. Neil Gaiman (excelente escolha, um grande nome da banda desenhada e de outras formas de literatura) por ser o mais audacioso e surpreendente escritor (também acho). E por fim, e mais surpreendente, escolheu Joss Whedon e outros escritores ligados à “Buffy the Vampire Slayer”, acrescentando que não é perfeito e que por vezes os argumentos falham mas salienta a qualidade dos diálogos e a caracterização das personagens (recentemente no Jam Session comentei um trabalho deste autor no universo da BD: Astonishing X-Men).

Para concluir este post, que se largou mais do que esperava, Susanna Clarke dedicou 10 anos da sua vida a escrever o livro “Jonathan Strange e o Sr. Norrel”, recusa a comparação desta sua obra com o Harry Potter (que considero uma recusa muito aceitável, cada um no seu canto, os dois trabalhos são de boa qualidade) e conquistou a minha atenção.

Jorge
(Quando terminar a leitura do livro, escreverei um post sobre o mesmo)

Sonhei contigo

por Jorge, em 06.01.06
Estávamos os dois a passear por um rio, caminhávamos sobre as águas como se fosse algo natural. Em tom de segredo, falaste-me dos teus desejos por realizar e das fantasias que tinhas acordada… Perdi-me, maravilhado nas palavras que sonhei saírem da tua boca, respirei o aroma da tua pele… Acordei com o despertador e tentei convencer-me que podia ficar o dia inteiro deitado a viver em sonhos.




Que aventuras, e momentos, tenho vivido desde que o João-pestana passou a cuidar do meu sono. Os pesadelos deixaram de me visitar, ficou apenas um mundo de infinitos imaginários, visitado todas as noites.

E aos poucos os dias deixam de parecer reais, ficando apenas o consolo do sono para me transportar para a recém descoberta realidade. É nestas alturas que volto a reencontrar-te como sempre te sonhei.

Jorge