Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Só Agora é que as percebi

por Jorge, em 28.05.05
Conhecem a situação, em contexto de emprego, em que vos dizem que são fantásticos e inovadores mas depois acrescentam que não vão poder continuar a contar com os vossos serviços e vão para o desemprego? Esse tipo de situação é muito parecida com uma situação-clássica da minha adolescência (obviamente que envolve raparigas).

Sempre que me apaixonava, imaginava um conto de fadas com aquela princesa, sem lhe revelar os meus desejos, esperava que ela reparasse em mim. Entretanto ela estava a namorar com uma besta qualquer e (muito provavelmente) quando acabasse com aquela partiria para mais uma relação com outra besta. Nos entretantos chorava no meu ombro com a reclamação que os homens não prestavam. E eu ali, quase a gritar: REPARA EM MIM!!!

Quando sentia que tinha criado uma relação de confiança para lhe confessar os meus sentimentos mais profundos, lá vinha a clássica tirada (que passarei a citar):

"És um rapaz muito especial, inteligente, com sentido de humor e tratas-me muito bem. Quando estou contigo fazes-me sentir única!" (Neste momento eu pensava que era correspondido, imaginava já o nosso casamento e o final feliz... Ela ainda não tinha dito tudo) "Mas gosto de ti só como amigo. Podemos ficar amiguinhos?" (SPLASHHH... Balde de água fria)

Nas diferentes vezes em que isto me aconteceu, fiquei sem saber o que dizer e aceitei ficar como amigo. Obviamente que no fundo pensava: Olha!!! Enfia o "amiguinho" no...

Só agora com a distância temporal é que percebi a mensagem que me queriam passar e passarei a desodificá-la:

"És um rapaz muito especial, inteligente, com sentido de humor e tratas-me muito bem. Quando estou contigo fazes-me sentir única! Mas gosto de ti só como amigo. Podemos ficar amiguinhos? É que na verdade para namorado, prefiro alguém que me proporcione uma relação de merda, que seja um perfeito idiota, que não me respeite e me faça sentir apenas como mais uma. Além disso nunca se namora com alguém que tenha uma relação de amizade, pois uma relação afectiva deve ser o mais impessoal possível"

Para todas as pessoas que se dedicam a relações idiotas, desejo uma introspecção (das GRANDES). Ainda bem que a minha adolescência já passou, mas nesta fase de jovem adulto já conheci cada relacionamento... ui.. Parece-me que cada vez mais as pessoas sentem menos e pensam menos.

Jorge
(post publicado simultaneamente no Jam Session, porque é uma mensagem que quero mesmo passar)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.