Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

A cidade

por Jorge, em 24.03.05
(Ao Filipe e ao Jorge por uma imagem que me sussurrou esta história)

Sempre que um viajante se aproximava pela estrada enlameada, a pequena bagagem cheia de sonhos e projectos por desenvolver, imaginava a cidade como o local onde tudo o que tinha idealizado ia finalmente acontecer.

No entanto, assim que os seus olhos avistavam a cidade, toda a coragem necessária para trilhar quilómetros e lutar contra a acomodação de permanecer para sempre no mesmo local caía por terra... Porque a imagem da cidade vista do topo da colina quebrava qualquer possível ilusão que se pudesse ter construído acerca dela! A cidade era um local confuso e cinzento, sem vida nem sentimentos, habitada por corvos e personagens decadentes. Um local onde ninguém poderia atrever-se a ser feliz!

Mas ela chegou, suavemente, com as suas pombas brancas a desprenderam-se das pregas do vestido e expulsou os corvos que habitavam a torre do relógio, afastou as nuvens do céu e permitiu que se avistassem as estrelas, abençoou as cores e disse-lhes que eram bem-vindas e fez o mesmo com todos os rostos, com todos os sentimentos e com todos os sonhos. Ela chegou, e com ela, a cidade começou a sonhar...

Texto: Raposa

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.