Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

A Raposa e o Lobo

por Jorge, em 14.02.05

 


Para o Jorge no Dia dos Namorados


Era uma vez, há muitos anos atrás, talvez no início dos tempos, uma Raposa de olhos verdes e sorriso matreiro.


Certo dia, quando a Raposa passeava pela floresta, deparou-se com uma clareira. Era a mais bela clareira que os seus olhos haviam contemplado! E mesmo no centro da clareira estava um Lobo.


A Raposa fitou o Lobo com olhos desafiadores e pensou arrogantemente que acabava com ele num segundo (Era uma Raposa um bocadinho arrogante!). Não era preciso ser brilhante para perceber que era macho e a Raposa desprezava o género masculino!


Mas, quando a Raposa se aproximou do Lobo com o objectivo de desferir o golpe final apercebeu-se da majestade do seu porte, da lealdade e sabedoria da sua espécie e pela primeira vez duvidou das suas intenções. Foi nesse instante de dúvida que os olhos de ambos se cruzaram e a Raposa viu reflectidos nos olhos do Lobo todo o seu Universo e todos os seus Sonhos. Aquele Ser captara a sua essência e era um semelhante! Não se pode matar um igual!


Desde esse dia a Raposa e o Lobo nunca mais se separaram e ainda hoje percorrem juntos o Universo numa jornada a dois...


Também foi assim que o Amor surgiu na Terra: por um cruzar de olhos que se reconheceram como diferentes, como iguais...


Raposa

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.