Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Brilha minha armadura, brilha…

por Jorge, em 26.10.04

Para tua própria protecção ergueste as maiores barreiras que a tua imaginação conseguiu.


Deixaste de te aproximar dos outros, de contar os minutos para ver esta ou aquela pessoa, de pedir ajuda quando precisas, de chorares em frente aos outros.


O teu sorriso passou a ser de indiferença e de gozo.


Verdade seja dita, sofres menos. Nada te pode atingir, és uma espécie de deus isolado. Muito bem, mas o que ganhaste com isso?


Talvez tenha sido tudo em vão e talvez não exista nenhuma ameaça. Já pensaste nisso?


Texto: Jorge Amorim

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.