Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Bola para a frente!!!

por Jorge, em 03.12.12

Vida não é a preto e branco. Nem como aparece nos filmes.

Sim e não apenas respondem a perguntas fechadas.

Já sabemos que acontecem coisas inesperadas e que até nem queriamos que acontecesse.

Felizmente já estamos neste planeta há algum tempo para pensar em soluções, alternativas ou outra treta qualquer.

Já agora que funcione mesmo para melhorar a situação.

 

 

 

Afinal o que é a Vida para ti? O que é que andas a fazer com os teus dias?

Se não depender de ti, vai depender de quem? De mim? De outro palhaço qualquer?

Estás à espera do quê?? Precisas de uma claque que te indique a direção?

Estás à espera de palmadinhas nas costas para suportar uma qualquer história da carochinha que a tua cabeça quer que assim seja?

Por quanto tempo já agora?

 

"BOLA PARA A FRENTE!" na direção que te interessa e sem treta. Sem especialistas de trazer por casa, sem mariquices, com coragem, com ambição, com inteligência.

Time of War!

por Jorge, em 09.11.12

"Victorious warriors win first and then go to war, while defeated warriors go to war first and then seek to win."

Art of War

 

 

Gestão de Tempo (a pedido de algumas pessoas)

por Jorge, em 24.10.12

A minha melhorou assim:

 

  • o essencial primeiro.
  • resolver coisas que podem começar a acumular (antes que acumulem)
  • limpeza brutal de feeds no google reader (não me interessa tudo o que se passa na net, ler tudo não é estar actualizado é estar sobrecarregado).
  • emails não são um chat, logo não preciso de responder no minuto.
  • menos twitter, menos facebook, mais coisas relacionadas com os meus interesses.
  • o não-essencial até pode ser cortado de vez.

 

Folhas amareladas, acastanhadas e secas

por Jorge, em 11.10.12
O Outono chegou, as árvores perto da minha casa dão os sinais que preciso. Chegaram então os dias para ficar em casa a beber uma chávena grande de café e passar mais tempo a colocar a escrita em dia. Muitos livros e artigos por ler já se encontram estrategicamente colocados na sala, comecei a fase inicial da minha tese de mestrado. Basicamente estou a explorar um tema do meu agrado de um dado ponto de vista para definir a minha pergunta de investigação.

Quando escolhi o mestrado em ciência cognitiva não sabia bem a trabalheira que me ia dar. Sim dá muito trabalho. Sim vale a pena. Basta de chorqaminguice e toca a estudar e investigar.



Duas decisões académica feitas esta semana implicam mais horas de trabalho, algo que deve ser bem ponderado por trabalhar por conta própria. Para quem não sabe implica uma série de pesquisas, reuniões e esperas imprevisíveis por respostas. Julgo que os truques são: gerir bem o tempo, fazer o essencial e gostar do que se faz. Antes de dormir sobra uns minutos para ler Marcel Proust, "em busca do tempo perdido ".

So c’mon...

por Jorge, em 07.08.12

"Life is tough, that’s a given. When you stand up, you’re gonna be shoved back down. When you’re down, you’re gonna be stepped on. My advice to you doesn’t come with a lot of bells and whistles. It’s no secret: you’ll fall down, you stumble, you get pushed, you land square on your face. And every time that happens, you get back on your feet. You get up just as fast as you can, no matter how many times you need to do it. Remember this: success has been and continues to be defined as getting up one more time than you’ve been knocked down.

 

 

If experience has taught me anything, it’s that nothing is free and living ain’t easy. Life is hard, real hard, incredibly hard. You fail more often than you win, nobody is handing you anything. It’s up to you to puff up your chest, stretch your neck and overcome all that is difficult – the nasty, the mean, the unfair. If you want more than what you have now, prove it! If you want to beat the very best out there that is, get out there and earn it! Once you decide that, you’ll know where it is you want to be. Then you won’t stop pushing forward until you get there! That’s how winners are made.

At the end of the day, success is what we all want. We all want to win, and the race will be won. There is no question about that. So c’mon, get out on top, run faster, dream bigger, live better than you ever have before. This is in you. You can do this. Do it for yourself. Prove it to yourself."

 

Gary Raser

Procuram-se Moinhos para Combater

por Jorge, em 03.08.12

 

 

 

Start Now

por Jorge, em 01.08.12

Do meu ponto de vista, a única recomendação útil para colocar as ideias em prática: começa agora mesmo!

Não precisa de ser perfeito, pode ser apenas um esboço, pode ser apenas 15 minutos por dia, mas avança.

Eu acho que só se semearmos é que vais germinar algo.

 

 

Foi assim que começou o Ginásio Mental, um passo de cada vez sem estarmos "parados a pensar" antes de concretizar. Fomos avançando e tornando mais real. E sem termos ficados a mastigar uma ideia, fizemos trabalho, obtivemos resultados e agora estamos a melhorar.

 

Cerca de um ano atrás, estava envolvido em tarefas que não me interessavam mesmo nada e um dia, em vez de me queixar, comecei a desenvolver uma ideia e a falar dela como se já existisse... Fez muita diferença. Todos os dias ouço (e penso) é preciso fazer algo diferente, algo novo... Bem, todos os dias me surpreendo com a criatividade das pessoas que dizem que já não a têm (e também me consigo surpreender). Talvez todos os dias se façam coisas novas e isso não seja suficiente. Por isso vamos avançar com passos na direcção que realmente queremos ir.

As férias são uma boa altura para meter as ideias em ordem

por Jorge, em 29.07.12

Considere por um momento que tudo o que tem de fazer nesta vida é: viver bem!

Nada de coisas "new age", uma simples constatação intelectual. Cada um de nós vive uma vida (sem tempo bem definido) que seja boa.

 

Suponho que mesmo uma instrução simples destas nos leve a pensar coisas completamente diferentes.

Para si viver bem deve ser diferente do que é para mim "viver bem".

 

Dúvido que exista uma felicidade para a vida, viver "feliz para sempre" é um objectivo completamente irrealista de realizar (a meu ver).

Somos capazes de pensar e influenciar o nosso comportamento, podemos investir o nosso tempo a desenvolver condições para termos bons momentos, para os podermos partilhar, para cumprirmos objectivos, superarmos desafios, aprendermos novas competências e assim sucessivamente.

 

Vai haver altos e baixos, se formos ao chão... voltamos a arranjar forma de ficar de pé e continuarmos. Se não conseguimos sozinhos, pedimos ajuda.

 

 

De um ponto de vista igualmente simples, duas perguntas durante o dia (o que está em baixo é apenas um exmplo) podem ajudar a manter a nossa mente no funcionamento que nos interessa.

 

Algures durante a manhã

O que preciso hoje para viver bem?

 

Algures durante a noite

O que fiz hoje para viver bem?

 

Pessoalmente acho que isto devia ser transmitido de pais para filhos e estar presente em todo o ensino que prentenda desenvolver seres humanos saudáveis. Não digo ser transmitido como estar aqui escrito, mas ser uma temática a ser pensada.

 

Estas perguntas respeitam as diferenças de pensamento, natureza e personalidade que temos. Podem-nos fazer ter diferentes papéis no grupo social, não garantem sucesso. Garantem que (algumas das) nossas acções passam a ser pensadas de um ponto de vista que nos torna responsáveis pelas acções.

 

Fica este desafio para as férias de verão.

Como escapar do marasmo existencial?

por Jorge, em 06.07.12

A resposta não é fechada mas suponho que em linhas gerais seja:

 

- poucas horas de televisão, "internet social" e leitura de jornais (fast-food para o cérebro).

- exercício físico e mental diário (ao gosto de cada um, se não sabe então descubra).

- direccionar os interesses pessoais para actividades cuja recompensa torne os dias mais animados.

- ser construtivo nas relações pessoais

- investir no desenvolvimento de competências pessoais e profissionais que alarguem as possibilidades de acção

- dormir bem

- fazer uma boa alimentação

 

Simples, com resultados óbvios e muito diferente do que é "mainstream".

 

 

 

Nota: escrevo para mim, para ter a certeza que me lembro sempre que por aqui passar. Se servir a outra pessoa, melhor.

Reboot of the Soul

por Jorge, em 01.07.12