Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sonhos Urbanos

Powered by Cognitive Science

Mais um passo no caminho da gastronomia vegetariana

por Jorge, em 20.09.10

Comi um hambúrguer vegetariano, gostei. :)

Óptimo, óptimo, óptimo.

Agora sim posso ter bons sonhos.

A Biblioteca

por Jorge, em 08.09.10

Na altura das férias grandes, quando tinha 14 anos, adorava ir para a Biblioteca perto de casa. Tinha uma certa reverência pelo local, tantos livros e sem ter de pagar por eles. Pegava nos mais diversos temas, alguns só ficavam nas minhas mãos 20 minutos. Sonhava um dia ter uma Biblioteca assim, dentro da minha própria casa. Seria vantajoso para ler durante alguma noite de insónia.

 

Entre os 17 e os 19 anos, fui muitas vezes requisitar livros à mesma Biblioteca. E, ocasionalmente, lá me deixava ficar em pura vadiagem pelo meio das ideias impressas.

 

A partir dos 20 anos passei a comprar mais livros, hoje olho para a enchente de livros que tenho em casa e sei que 70% deles podiam apenas ter sido requisitados. A minha Biblioteca é o local onde durmo e onde escrevo. Agora o meu objectivo é diferente, quero uma divisão minimalista para estar confortavelmente sentado a pensar e a conversar, nessa divisão uma pequena estante (apenas para um conjunto de livros técnicos essenciais) e uma mesa ampla para escrita. Continuo a residir perto de uma boa Biblioteca e continua a ser um lugar para visitar e vadiar.

A "Telenovela" Casa Pia

por Jorge, em 03.09.10

A manhã nos media nacionais começou com a leitura da súmula do acórdão do Processo Casa Pia; apenas 4ªf é que será entregue o acórdão completo. Ao longo do dia vão existir vários comentários sobre o assunto.

 

Não estou ao corrente de dados do processo para poder comentar com profundidade. Como pessoa exterior só tenho a dizer:

 

- Demorou demasiado tempo (sim é um processo complexo mas arrastar durante anos???)

- Muita informação / desinformação nos media (e que tal aguardar resultados jurídicos antes de escavacar os assuntos? É que algumas pessoas, talvez a maioria, acredita que se passou na televisão é porque é verdade)

Game Over... for Now

por Jorge, em 29.08.10

Último dia antes de regressar ao trabalho.

Amanhã volto à rotina de um horário de trabalho, onde na primeira hora do dia vou estar sentado a ler e-mails. Depois faço uma checklist e tento perceber o ponto da situação. De certeza, ao fim de umas horas terei algum problemas em mãos.

 

Sabem que mais? Não quero saber, amanhã vejo isso. E como levo um óptimo descanso de férias, conto em trabalhar da forma mais positiva possível: ter bons resultados e gostar do que estou a fazer.

 

Um dos lados positivos é voltar a reencontrar os colegas, sabe sempre bem voltar a ver as caras conhecidas.

O Longo Sábado da Preguiça

por Jorge, em 28.08.10

Tudo se passa na penumbra, no silêncio que só a solidão permite.

Um computador, alguma comida, papel para escrever e uma mão cheia de livros.

Nada mais peço. :)

Quatro meses de boa vida

por Jorge, em 27.08.10

No Chile, há uns quanto mineiros à espera do seu resgate. Provavelmente já sabem, eles estão presos numa mina e as operações de resgate vão durar apenas quatro meses. A primeira coisa que pensei foi "bolas e eu queixo-me das viagens de autocarro que duram seis horas".

 

Mas depois pensei melhor... As viagens de autocarro são bem piores, são as minhas. O Chile é muito longe para me acontecer algo assim. E, se alguma vez ficar numa mina durante quatro meses, então nessa altura farei o meu choradinho sobre isso.

 

(a resmungar) vou lá estar a preocupar-me com esses malandros que vão estar quatro meses sem trabalhar e a terem direito de antena... São como os gajos do Big Brother.

O que fazer em viagens de autocarro que duram 6 horas?

por Jorge, em 22.08.10

- auto-hipnose ("o tempo é uma ilusão" ou "não há longe, nem distância")

- dormir

- tentar ver o filme que passa

- fingir de morto

- ler qualquer coisa

- falar com a pessoa do lado

- resmungar por ter deixado o mp3 em casa

- repetir as coisas anteriores umas 10x

A melancia de 10 Kg

por Jorge, em 21.08.10

senhora: a melancia pesa 10 kg, quer levar?

eu: sim, sim

senhora: eu ajudo-o a carregar até ao carro.

eu: qual carro?? vou a pé até x

senhora: está a brincar!

eu: não. faz-se num instante.

 

 

Lá peguei na melancia. Olhei para a Raposa e disse:

- Podemos ir passear que ando com isto na mão à vontade.

Sete minutos depois:

- E se fossemos directos para casa?

Dois km depois, cheguei a casa... com a língua de fora.

As músicas do nosso casamento

por Jorge, em 20.08.10

A Raposa e eu estivemos aqui a escolher algumas músicas para o nosso tão esperado casamento.É verdade que ainda não o decidimos fazer ou escolhemos alguma data, mas se temos de começar por algum lado que seja pelas músicas.

 



(enquanto a noiva não chega está a dar Iggy Pop "Lust for Life")

Bang Bang, Nancy Sinatra
"Bang bang, he shot me downBang bang, I hit the groundBang bang, that awful soundBang bang, my baby shot me down"

Ordena que te ame, Mundo Cão
"Entrei no teu jogo, Como um LoucoFui ingenuo e tu tão fatalJoguei-me todo e foi tão poucoO amor é o teu instinto mais cruel"

 

Bad Things, Jace Everett,
"I don't know what you've done to me,But I know this much is true:I wanna do bad things with you."

Where do You Go To (my Lovely), Peter Sarstedt
"But where do you go to my lovelyWhen you're alone in your bedTell me the thoughts that surround youI want to look inside your head, yes i do."

 

Invincible, Muse
"And during the struggleThey will pull us downBut please, please let's use this chance toTurn things aroundAnd tonight we can truly sayTogether we're invincibleTogether we're invincible"

(no final do copo de água tinha que se ouvir...)
Business time, Flight of the conchords
"Now i'm naked except for my socksAnd you know when i'm down to just my socksWhat time it is It's business it's business time"

Estas foram as primeiras que nos lembrámos, obviamente que os mais atentos notaram a falta do genérico do Doctor Who e a fanfarra do Indiana Jones, estão a ser negociadas.

Um por Todos e Todos por Um

por Jorge, em 18.08.10

Hoje é daqueles dias em que sinto que vai ser sempre assim. Aconteça o que acontecer, entre amigos vamos ser o suporte uns dos outros.

Sabemos que não podemos estar fisicamente presentes a todos os instantes, mas que o afastamento é apenas físico.

 

Hoje é daqueles dias que estou cheio de diversos pensamentos mas poucas palavras. Prometo compensar no resto da semana.